sábado, 7 de maio de 2011

Minha história

Hoje vou contar um pouco da minha história para vocês. Eu sempre fui magrinha até os 11 anos (por ai) quando fui para os EUA morar com meu pai. Já sabem né? EUA é o país das porcarias! e criança nem gosta de porcarias..rs. pois então, engordei um pouco na minha infância morando lá. Voltei para o Brasil mas continuei engordando, com 15 anos eu pesava 89 kg, foi assim, depois de ser muito humilhada com brincadeiras (de nada bom gosto) do meu irmão e do meu padrasto que resolvi emagrecer.

Comecei a fazer dieta, mas por conta própria, sei que só almoçava (pouquissima coisa) e só comia novamente no outro dia, mas consegui emagrecer (e ter alguns problemas de saúde por conta disso) 24 kg em 2 meses, nossa como fiquei feliz!! Estava magra e bonita!!!.... mas depois fui relaxando e engordando, engordando e emagrecendo, até quando conheci o meu marido (estava de 65kg a 68 kg), já viu né.. namorando.. comendo.. comendo mais que namorando..rs.. mudamos para SP e como eu não tinha nada para fazer em SP acabava comendo horrores, tanto quem em SP engordei 20 kg (em 2 anos).

Voltamos para nossa cidade, pois não estávamos mais aguentando a vida corrida de SP, e acredito que foi providencia de Deus, pois não passou 1 mês que chegamos meu sogro ficou doente, e 4 meses depois ele faleceu.

Nossa intenção quando voltamos de SP era juntar dinheiro para virmos para a Alemanha, dar um tempo da nossa familia lá, porque querendo ou não, passávamos todo o nosso tempo a disposição deles (da minha mãe e da minha sogra). Então seria uma forma de conciliar o útil ao agradável, viriamos para a Alemanha, aprender alemão, e viver a nossa vida (não é bem isso que acontece hoje em dia).

Meu pai é alemão, e eu sou alemã de quebra..rs.. mas como minha mãe é brasileira e eu vivi a vida toda no Brasil (Nasci em Suriname) eu aprendi o Inglês (porque meu pai só falava em inglês), o português é lógico e um pouco de alemão (pois chegamos a morar na Alemanha quando eu era pequena.

Meu pai infelizmente desapareceu quando eu tinha 13 anos, nunca mais deu noticias, e nunca mais ouvimos falar dele (longa história), como ele sempre dava noticias chegamos a conclusão que talvez ele possa ter morrido e ninguém ficou sabendo.

Como em 2009 (que era o ano que tinhamos planejado juntar dinheiro para vir para a Alemanha) meu sogro faleceu, meu marido (que até então era noivo) não tinha cabeça para trabalhar e nem eu por conseqüência disso também. Acabamos que não juntamos dinheiro, nos casamos, infelizmente tivemos que gastar um bom dinheiro com casamento por que nossa familia queria que nos casássemos da forma mais tradicional possível (com festa e tudo), e isso sai muito, mas muito caro!!!! Bom, não era bem o que queríamos, mas como ele é filho único e eu sou a unica mulher da minha mãe, ou seja, paciência, gastamos o que não tínhamos para fazer o tal do casamento, foi legal, foi bonito, mas desnecessário, até mesmo porque nenhum dos dois queria festa, e nem tinha muito clima pra festa, meu sogro tinha acabado de falecer, tivemos que adiar o casamento duas vezes e foi um belo de um desgaste.

No ano passado, como estava desiludida de que iríamos viajar tão cedo comecei a fazer faculdade de Veterinária (que sempre foi o meu sonho), engordei mais 10 kg nessa brincadeira de faculdade. Comecei a ter muitos problemas em casa porque trabalhava para minha mãe (ainda trabalho, por isso que disse lá em cima que não vivemos a nossa vida ainda). Então pedi demissão, apesar dela não ter me dado a demissão e disse que viríamos para a Alemanha, independente de qualquer coisa! E foi isso que eu fiz, porque eu sempre falava as coisas, mas ela nunca acreditava em mim, então pra provar que não era só falação dessa vez viemos para a Alemanha.

Tranquei a minha faculdade, juntei minhas coisas e meu marido e vim para a Alemanha, com algum dinheiro que tínhamos. Viemos para aprender alemão, afinal, eu sou alemã!!! E não sei falar alemão, mas não por culpa minha, por culpa dos meus pais que não me ensinaram.

Estamos aqui agora, estudando, o que está muito dificil e ainda sem emprego, vivendo do dinheiro que juntamos o ano passado para viajarmos. De certa forma eu acho que fizemos uma boa escolha, porque aqui temos todo o suporte do governo, o problema é que sem falar alemão não adianta muita coisa, mas estamos tentando.

Eu ainda não consegui me desvencilhar da vida que eu tinha no Brasil, afinal, nada me faltava, eu tinha meu apartamento que é próprio, meu carro, meu emprego, minha faculdade, meu marido, dava pra pagar as contas e ir em restaurantes e bares uma vez na semana, e se nos esforçarmos mais um pouco dava até pra viajar. Continuo trabalhando para minha mãe (com o auxílio da internet tudo funciona!!), mas não é isso que eu quero para mim, não quero depender dela a vida toda, sou formada em Direito mas não tenho vontade de exercer a profissão, tanto que não fiz a prova da OAB e não pretendia (como não pretendo) ser advogada.

Aqui me deparei com uma situação completamente fora da minha realidade, eu tenho a opção de fazer uma especialização em Direito e exercer a profissão ou eu tenho a opção de mudar de cidade e fazer minha faculdade de veterinária, mas para ambos eu preciso falar pelo menos o nivel B2 de alemão (que é quase fluente). Nisso que me pego numa fria, pois não sei o que eu quero.

Não sei se quero me especializar em Direito, que eu gosto mas não amo, ou se eu começo tudo de novo e faço Veterinária, mas ai vejo a questão do tempo, já estou com 28 anos, até eu aprender o alemão em nivel de faculdade são mais quase 2 anos, então eu entraria na faculdade com quase 30 ou 30. Não sei se pego a via mais curta para a profissão (direito) ou a via mais longa (veterinária). Caso eu escolhesse veterinária seriam mais 5 anos estudando, enquanto a especialização são apenas 2 anos. Mas enquanto isso, como vou me sustentar? Não sei se posso me dar ao luxo de escolher a via maior, até mesmo porque tenho que pagar contas não é? Se eu fosse rica seria uma outra história..rs.rs...

Aqui estou eu, com dúvidas e dúvidas na minha cabeça, não sei o que fazer, gostaria de não reclamar tanto e aprender logo o tal do alemão, gostaria de me desvencilhar da minha vida (não da minha familia) no Brasil, e viver a minha vida junto com o meu marido, porque até agora não foi isso que fizemos, vivemos a vida dos outros e as nossas ainda não.


2 comentários:

FRANCYS LARA disse...

Fiona, nossa lendo sua hitoria eu muito me enxergeuei...tbém fiz direito e não fiz oab pois tbém não quero advogar, tbém tenho outros planos, mas medo de estar velha e ter que fazer algo que dê retorno logo... eu tenho vontade de voltar à faculdade, fazer pedagogia, comecei, mas parei, estou com 30 e tem horas que acho que já to velha pra voltar e tem horas que penso que na vida é preciso ousadia, é preciso se arriscar e aí lembro que qdo estava fazendo direito na minha sala havia pessoas com 50, 55 anos e eu os achava tão corajosos e eles eram muito determinados, possivelmente pois deviam achar que já não havia mais tempo a perder né?
São tantas dúvidas e o pior, sto nos paralisa, queremos tantas coisas e devemos ir atras dos nossos sonhos, logico que temos que ser práticos, sonhos somente não enchem barriga, e por isso não posso dizer qual caminho vc deveria tomar, até porque gostaria muito que uma luz me guiasse e que eu não precisasse decidir sozinha meu destino, seria mais fácil, se tem uma coisa que me arrependo na vida, é de ter concluido meu curso, nada contra o Direito, que eu eu gostava de estudar, mas qdo descobri que aquilo não era "minha vocação", que eu não tinha sentia "tesão", eu deveria ter largado, pelo menos eu não me cobraria tanto neste aspecto e as pessoas não ficariam frustradas em suas expectativas, pois vc deve me entender: este tipo de oisa rola, principalmente por não querermos fazer a OAB, eu não quis pois pelo menos tenho este argumento para não advogar, e se tivesse não daria para fugir... mas mesmo assim me entristeço, pois não sou um orguho para meus pais, tem uma bacharel que é dona de casa, quer queira ou não sinto-me desprestigiada, eu mesmo acabo me sentindo menor...podia ser tanto e escolhi ser nada... ô vida, esse negócio de viver é muito omplicado...bjocas

leahdiet disse...

Meninaaaaa... caramba... que história... to até confusa!!! rsrs

... mas precisa ficar realmente tão longe da família para romper esse cordão umbilical???

Brasil está realmente fora dos planos de vcs??? Mesmo as coisas sendo bem diferentes daí... vc pelo menos fala português fluente!!! rsrs

Olha... pensa direitinho... só vc mesmo para desfazer esse nó... só nós temos esse "poder" dentro de nós mesmo!!!

Beijinhos e té mais!!!